Archive

Archive for outubro \30\UTC 2010

Chuck – Chuck Versus The Cubic Z[04×03]

Após ver esse episódio continuo me perguntando o que o pessoal tanto criticou nesse inicio de temporada da série. Em comparação à segunda metade da segunda temporada e à terceira, está inferior, mas ainda assim está bom.

O episódio colocou o relacionamento de Chuck e Sarah no meio de uma missão, trouxe a volta de Nicole Ritchie interpretando a amiga e agora inimiga de Sarah e também tivemos Big Mike voltando como vendedor da Buy More.

Heather estava presa juntamente com Hugo, os dois acusados de envolvimento com Volkhoff e Frost, que provavelmente deve ser a mãe de Chuck, e é justamente por isso que o nerd resolve interrogá-la, mas a morena consegue desmontá-lo ao usar o relacionamento dele com Sarah pra tentar desestabilizá-lo.

Zachary Levi como sempre esteve bem e honrando o título de protagonista da série, já Yvonne Strahovski, apesar de ter tido uma situação um tanto quanto clichê, saiu-se bem muito graças ao seu carisma, assim como Nicole Ritchie que se destacou novamente no episódio.

Sempre acho as tramas da Buy More um pouco deslocadas da série, mas se prestarmos atenção, aquela situação dos videogames deve fazer parte da vida de muita gente (não a minha), que assiste a série.

Categorias:Chuck, Séries, TV Tags:, ,

Glee – Duets[02×04]

Após o drama da semana passada Glee voltou ao seu costume, momentos legais de assistir costurados por bons números musicais, tudo isso numa competição de duetos promovida por Will na qual quase todos os seus pupilos cantaram.

Por algum motivo Mark Salling não pode participar desse episódio, até gostaria de saber qual foi, mas até que deram uma boa desculpa por estar sumido. Quanto à entrada de Sam no Glee Club foi um pouco inesperada e mal trabalhada, talvez tivessem colocado lá pro meio do episódio, com uma boa justificativa.

Aliás, o personagem está tendo tramas rápido demais e com isso não se desenvolve. Entra no Glee, é assediado por Kurt, faz um paralelo com Finn em relação ao preconceito, logo depois se encanta por Quinn tenta beijá-la, recebe um não, e logo depois voltam às boas num encontro. Rápido demais, correto?

A entrada de Sam mexeu com Kurt e Quinn, o primeiro logo se candidatou a fazer um dueto com o rapaz, que não se importou, mas até seu pai lhe mostrou que naquela escola aquilo podia acabar com a reputação do novato. Já a líder de torcida também ficou mexida com ele, e apesar de não querer ninguém no momento, o final do episódio foi bem esclarecedor.

Eu sou fã da Lea Michele e suas caras e bocas, e foi divertido vê-la na sua visão não-egoísta, mas que na verdade era sim, perder o concurso pro novato ganhar e assim se sentir acolhido no grupo.

Os números musicais foram simples, menos o de Kurt que deu show interpretando os dois lados de um dueto e de certa forma todos se destacaram, Santana e Mercedes com as vozes poderosas em River Deep, Mountain High, Mike Chang e Tina numa interpretação divertida de Sing e ainda Sam e Quinn na ótima Lucky.

Categorias:Glee, Séries, TV Tags:, ,

Blue Bloods – Samaritan[01×02]

O primeiro episódio já havia sido surpreendente, mas com esse episódio Blue Bloods parece ser a minha The Good Wife da temporada, ou seja, aquela série que inicialmente eu iria assistir apenas o piloto, mas com uma qualidade incrível me cativa pelo resto da temporada.

Tom Selleck está excelente no papel principal da série, e eu que não era fã do ator, estou me tornando, afinal o cara está dosando bem suas cenas como pai e como chefe de polícia. E ainda tem o caso com a repórter.

Aliás, nesse episódio, e no anterior já havia dado essa ideia, muito do que será mostrado terá a queda de braço entre imprensa e a polícia de Nova York. Nesse episódio, isso fica claro na pele de Oliver Young que procura a televisão em vez dos policiais para se entregar, por ter medo do que poderia acontecer com ele. Isso fez com que ele se tornasse herói local e depois mártir.

Acho interessante eles dosarem o procedural com uma história de pano de fundo. Temos a família, claro e a questão dos Templários Azuis só lembrada nos minutos finais, já que o caso da semana foi arrebatador.

O assalto no metrô de NY é de assustar qualquer um e o tiroteio que se seguiu foi a deixa para os policiais começarem a investigar e acabar com a gangue que cometia esses crimes.

Nikita – Rough Trade[01×04]

Em seu quarto episódio, a série aprofunda um pouco mais seus personagens, nos levando ao passado da protagonista e vendo como ela se saiu em sua primeira missão, o que contribuiu bastante para vermos a atual dinâmica que ocorre entre os personagens.

Nikita resolveu voltar ao passado reencontrando a família que ela havia se infiltrado e assassinado o marido em sua primeira missão, para assim acabar com a Tríade Red Circle e atrapalhar a Division. Gostei dessa revisitação, pois enquanto víamos Nikita correr atrás dos chefões da máfia, vimos também como ela foi chamada para sua primeira missão e como se sentiu culpada por ter matado alguém teoricamente inocente.

A cada episódio Maggie Q tem me conquistado cada vez mais, com a sobriedade de seu personagem, mas também devido à química que ela tem com Shane West e quero ver logo Michael se virar contra Percy e ir pro lado de Nikita, já que nesse episódio ele salvou a vida da assassina quando ela descobriu que tudo não passou de uma farsa e que Victor Han estava vivo.

As cenas entre os recrutas da Division poderiam ser mais bem elaboradas, haver uma dinâmica melhor entre eles, e com isso Alex fica prejudicada já que sua personagem não tem muito o que fazer, então eles também estão utilizando o passado com ela.

Interessante perceber o poder que Amanda possui dentro da Division e como ela totalmente o oposto do que aparente, porque o que ela fez com a Alex pra mim foi tortura, e ainda, ela já sabe que a garota esconde algo.

Categorias:Nikita, Séries, TV Tags:, ,

Outsourced – The Measure Of Manmeet[01×02]

Sem dúvida a melhor comédia que estreou esse ano na televisão americana. Simplesmente estou adorando como eles estão balanceando o choque cultural com a questão de se fazer comédia com os tipos que existem num ambiente de trabalho.

Tenho que falar da cena de abertura que foi simplesmente hilária, realçando as características de cada um dos personagens e impossível não rir do grito mudo da Madhuri.

O episódio girou nas primeiras avaliações e na possibilidade de Todd ter que demitir alguém, já que o lucro estava baixo. Não teve como não rir de Gupta achando que ele é quem seria demitido e também do porquê Manmeet estava com as vendas tão baixas, ao flertar com todas as mulheres que ligavam.

Foi divertida a interação sobre as balançadas de cabeça dos indianos assim como os hambúrgueres típicos dos norte-americanos.

The X-Factor – Top 12[07×15 & 07×16]

Na terceira noite de apresentações o tema foi guilty pleasure, com alguns candidatos voltando ao seu melhor, outros mostrando melhora a cada semana enquanto que alguns mostram sinais de desgaste.

Top 3

1º Matt Cardle – Baby One More Time

2º Aiden Grimshaw – Diamonds Are Forever

3º Katie Waissel – King Of The Swingers

Bottom 3

10º Wagner – Spice Up For Your Life/Livin’ La Vida Loca

11º Paije Richardson – Ain’t Nobody

12º John Adeleye – Zoom

 

A noite de resultados me reservou uma surpresa que esperava que fosse dupla eliminação, mas ainda bem que apenas um seria eliminado. Antes da revelação de como foi a votação, tivemos apresentação de Michael Bublé e seu novo single Hollywood e da Cheryl Cole com Promise This.

Na hora de saber quem estava no bottom, uma surpresa pra mim, Treyc Cohen estava entre as menos votadas e enfrentaria o fraco John Adeleye. E não deu outra, John foi eliminado após cantar muito nervoso Because Of You.

Grey’s Anatomy – Shock To The System[07×02]

Acredito que esse seja um dos melhores inícios de temporada da série, que sempre ganhava fôlego após alguns episódios iniciais que serviam para nos situar nas tramas que seriam desenvolvidas.

Shonda Rimes está utilizando muito bem o fato que aconteceu na temporada passada para desenvolver ainda mais seus personagens e ainda explorando muito bem como o trauma afeta as pessoas de maneiras diferentes.

Três atrizes têm chamado atenção nesses episódios, Sandra Oh, Chyler Leigh e Ellen Pompeo, quem vem mostrando porque é a protagonista da série. Toda sua situação foi bem explorada como ela finalmente sendo liberada para cirurgia no fim do episódio por mostrar que estava cansada de se preocupar com todos e revelou finalmente a Derek que tinha sofrido um aborto no dia do massacre.

Lexie está ótima com sua faceta um tanto quanto louca, obsessiva é o que parece mais e o que preocupa Mark que ao perceber que o tempo que ele está esperando pode acabar a qualquer momento quer logo pedir ela em casamento.

Sempre gostei de Cristina Yang e esse seu lado mais vulnerável vem sendo mostrado com uma competência impressionante pela Sandra Oh – que eu espero seja lembrada nas premiações. A cena onde ela tem um ataque de pânico dentro da sala de cirurgia foi sensacional e emocionante. Foi tocante ver Cristina e Meredith conversando e tentando se ajudar.

Eu tinha achado o casamento entre Cristina e Owen precipitado, mas a forma como as coisas se deram aqui foi ótima e deram uma explicação para que o casamento acontecesse e agora ele é quem irá cuidar dela e de seus traumas.

Ainda teve Bailey se livrando de suas lembranças ao operar Karev, mas eu ainda estou achando esses dois um pouco fora do que vem acontecendo no Seattle Grace.