Archive

Archive for junho \30\UTC 2010

Glee – Journey[01×22-Season Finale]

Surpreendente e emocionante, assim se encerrou a primeira temporada da série que se tornou fenômeno no último ano. Mesmo tendo alguns momentos fracos durante esse período é inegável dizer que Glee teve um final de temporada perfeito, conseguindo balancear bem todos os elementos já vistos na trama.

Por mais que tenha sido clichê e piegas, ao começar, o episódio já dava o tom do que aconteceria nos próximos 43 minutos. Muita música, emoção e algumas surpresas estavam guardadas para nós, que vibramos tanto com o Novas Direções.

A competição foi perfeita, a começar pelo medley da banda Journey, cantado pelos meninos do Nova Direções. E a todo tempo fomos avisados de que não importa o começo e o fim, ganhar ou perder e sim a jornada que nos levou até aquele momento e quando eles começaram a entoar “Don’t Stop Believin’”, não tinha como não se lembrar do episódio piloto exibido um ano atrás e que deixou todos com gostinho de quero mais até a temporada estrear.

E realmente o Vocal Adrenaline não tem a alma que os meninos do ND têm, mas são impecáveis no quesito técnico e a apresentação deles com “Bohemian Rhapsody” foi sensacional, também pela ótima edição, que nos mostrava uma música altamente emotiva, com um dos pontos-chave de toda a série e do episódio: O parto de Quinn. E por causa disso, revemos sua mãe, que se separou do pai dela e vimos que sim, a amizade de Quinn e Mercedes é real. Mais surpreendente do que isso, só a Sra. Corcoran adotando Beth.

E o resultado das Regionais? Na emoção do episódio estava óbvio para todos que assistiam que Rachel e seus amigos sairiam vencedores, mas veio um balde de água fria ao descobrirmos que eles ficaram com o 3º lugar. A competição também foi palco para ótimas participações de Josh Groban e Olivia Newton-John, dando em cima e humilhando Sue Sylvester que finalmente percebeu que os garotos realmente são talentosos e deu seu voto pra eles, claro que sem dar o braço a torcer.

“To Sir, With Love”, foi a síntese perfeita da temporada, ao mostrar tudo o que aqueles jovens passaram desde que resolveram cantar no Glee.

Atuações impecáveis, situações surpreendentes (Finn se declarando, assim como Will, e ainda Emma com um namorado), fizeram esse um dos finais de temporada excelente, mesmo sem um cliffhanger.

Categorias:Glee, Séries, TV Tags:, ,

True Blood – Bad Blood[03×01-Season Premiere]

A grande série da Summer season começou e agora tenta manter o nível que foi apresentado nas temporadas anteriores, manter os fãs fiéis satisfeitos e ainda angariar mais público. E com esse episódio de estreia podemos dizer que True Blood tem tudo para brilhar nessa temporada.

Para uma estreia de temporada, onde se deve apresentar todas possíveis tramas que serão abordadas no decorrer dos treze episódios, a série fez um bom papel. Uma das coisas que me incomodou é a inclusão de personagens, até interessantes, mas um elenco inchado uma hora ou outra alguém será esquecido.

Além disso, tivemos as ótimas participações de Evan Rachel Wood e Zeljko Ivanek, reprisando seus papéis.

O principal ponto dessa temporada inicialmente é a aparição dos lobisomens, que sem motivo aparente seqüestraram Bill e devem dominar esses três primeiros episódios, e o que acho mais interessante é a trama que se desenha quanto ao tráfico de sangue vampírico que já chama a atenção do Magistrado e põe Eric e a Rainha da Louisianna em risco. Já Sookie procurando o amado durante um episódio inteiro foi cansativo e são houver nada de diferente no próximo episódio poderá ficar entediante esta parte da série.

Outro aspecto muito bom a ser abordado é a situação emocional de Tara, que simplesmente está acabada com a morte de Eggs e tenta o suicídio. Gosto de voltarem algum destaque do tipo a Rutina Wesley, já que na última temporada dava raiva da personagem, agora pelo jeito será pena.

Outro que deve sofrer é Sam. Aliás, como sempre. Mas pelo menos teve uma cena hilária, já que como ele tomou o sangue de Bill, teve sonhos eróticos com ele, assim como Sookie e Eric na temporada passada. Mas voltando à sua trama, essa história da família dele é muito obscura e é praticamente certo que haja muitos segredos ali.

Jason como sempre serve como alívio cômico e o fato dele não conseguir transar por ver as mulheres com um buraco na cabeça chegou a ser engraçado, mas não tenho de como irão desenvolver essa trama, e se irão voltar com o Jason da primeira temporada.

É bem chato darem tão pouco destaque a Jessica. Deborah Ann Woll mais uma vez esteve muito bem, com a vampira em crise após ter matado pela primeira vez.

Após 1 ano de espera e uns 2 meses desde que começaram a ser lançados mini episódios e pôsteres aumentando a ansiedade dos fãs, a série tem tudo pra continuar dominando as listas de discussão sobre séries.

The Good Wife – Running[01×23-Season Finale]

E chegou ao final talvez a maior surpresa do ano, já que inicialmente não pensaria que a série teria um potencial imenso a ser explorado, sendo apenas mais um drama que eu vejo. A série provou o contrário e pra mim com o final que apresentou terá que mostrar se é ousada ou conservadora em suas decisões.

Afinal, Alicia vai se juntar a Peter na campanha ou fará o mesmo que ele fez com ela, e o abandonará na frente de toda a imprensa para ficar com Will? Independente de sua decisão ela terá conseqüências, talvez menores se mantiver tudo da forma que está, mas eu gostaria de vê-la fazendo o oposto.

Aliás, a cena dela com Will foi bem sincera. Foi como ela falasse que não dá pra viver apenas de amor, que casamento tem todo um dia-a-dia e não é poesia. Achei ótimo.

O caso da semana foi até interessante, mas muito importante e com muito destaque para um final de temporada já que querendo ou não, não interferiu diretamente na trama principal, que teria sido mais interessante se fosse melhor explorada, com a briga por quem manipula Peter, Jackie, Alicia, Eli ou Isaiah.

O caso do policial corrupto que acabou morto por causa da própria esposa colocou Kalinda no centro das atenções, e mais uma vez sua bissexualidade foi discutida, ainda mais com a participação direta da agente interpretada por Jill Flint.

American Idol – Final[09×42 & 09X43]

Foi um final fraco para uma temporada pior ainda. Mesmo sendo o melhor cantor e a melhor cantora, os participantes não honraram o título e entregaram apresentações fracas.

Lee Dewyze

The Boxer by Simon & Garfunkel

Gabriel: Música da “Inspiration Week”, final do programa e foi emocionante como devia ser, mas podia ter sido melhor.

Everybody Hurts by R.E.M.

Gabriel: Foi uma apresentação melhor de se ouvir do meio para o final, já que o começo foi bem desafinado. Ainda fraco para uma final.

Beautiful Day by U2

Gabriel: A música já tem um clima apoteótico, o que eu acho excelente ainda mais para esse programa, e a apresentação dele foi emocionante na medida certa, e era só reparar o quão feliz e emocionado ele estava, pelo brilho dos seus olhos.

Crystal Bowersox

Me And Bob McGee by Janis Joplin

Gabriel: Escolheu uma da semana de números 1 da Billboard, e foi fraco para uma primeira rodada da final.

Black Velvet

Gabriel: Finalmente uma apresentação digna de encerramento de temporada. Perfeito.

Up To The Mountain

Gabriel: Escolha perfeita para single vencedor, e não era mais do que esperado uma boa apresentação por conta disso.

O resultado final foi previsível ao pararmos e vermos qual participante tinha um apelo popular maior, e é mais do que óbvio de que Crystal era superior a Lee, mas ela continuou firme junto às suas escolhas, com músicas menos conhecidas. Tirando o resultado, que foi coadjuvante, a final foi de Simon Cowell, e ele foi dono do único momento emocionante, que foi quando os vencedores das edições anteriores se reuniram em um tributo ao jurado que se despediu do reality.

Glee – Funk[01×21]

Penúltimo antes do final da temporada, e eles conseguiram apresentar um episódio bem fraco, um dos piores da curta existência da série. Apesar de alguns momentos, diga-se, números musicais inspirados, outros chegaram a ser constrangedores.

O que dizer de Will Schuester seduzindo Sue Sylvester ao som de “Tell Me Something”? Extremamente ridículo, sério, me bateu uma vergonha alheia tão grande do Matthew Morrison dançando daquele jeito que eu não via a hora de terminar aquele número musical. Outro momento, dessa vez estranho, foi o número de Quinn e as outras grávidas, funcionaria melhor ela sozinha, em vez de dançarinas “grávidas”.

A trama de Will e Sue foi muito irreal, tudo bem que ódio e amor andam lado a lado, mas foi tão abrupta a tentativa de Will de humilhá-la, partindo seu coração, que não funcionou.

Poor Rachel foi TT no Twitter, e eu entendi o porquê, e eu realmente fiquei com pena da moça e com extrema raiva de Jesse e mal posso esperar para o New Directions dar o troco nas Regionais, mas eu não entendi bem aquela raiva dele com ela. Soou bem estranho e mal explicado.

Os números musicais nesse episódio voltaram a simplicidade e até que foi algo interessante, eu particularmente adorei o de Loser, nos corredores da loja e o número final com o Glee Club inteiro.

Além disso vale fazer uma observação positiva sobre a volta de Terri e uma aparição maior de Quinn. A segunda teve o número musical solo, e a primeira voltou para assinar o divórcio e talvez começar uma inusitada relação com Finn.

Categorias:Glee, Séries, TV Tags:, ,

Chuck – Chuck versus The Subway/Chuck versus The Ring: Part 2[03×18 & 03×19 – Season Finale]

Mesmo estando em sua melhor forma a série amargou na audiência, mas ainda bem que a NBC deu um voto de confiança e renovou a série para mais treze episódios, afinal depois desse término todos queremos realmente é encontrar a mãe de Chuck. Mas esses dois episódios que encerraram a temporada foram cheios de ação, emoção e comédia, com uma atriz se destacando: Sarah Lancaster.

Conheço a Sarah Lancaster desde Everwood e estava esperando pelo seu momento na série, que veio se desenhando nos últimos cinco episódios, desde que ela foi e voltou da África.

O primeiro episódio serviu para nos mostrar que Shaw realmente estava vivo e que seu plano juntamente com Justin e a Aliança era conseguir o Governador, um dispositivo criado por Stephen Bartowski que servia para aliviar os efeitos colaterais do Intersect.

Foi doloroso ver todo o pessoal da equipe de Chuck sendo preso, por causa de Shaw e sob a alegação de um fracasso do programa Intersect, mas foi bom de se ver Casey revelando à filha quem ele realmente é, e mais, no fim do primeiro episódio, Ellie, Devon e Morgan se unindo para salvar Chuck e seus amigos.

Tudo isso com Chuck tendo que lidar com o excesso de informação em seu cérebro praticamente fritando-o e deixando-o impossibilitado de ajudar Sarah e Casey.

Já o segundo episódio reservou o confronto final entre Shaw e Chuck, além da dissolução da Aliança com a prisão dos Anciões.

Apesar da promessa feita à Ellie de que não voltaria a ser espião, Chuck recebeu o encargo de seu pai de continuar seu trabalho e ir atrás da sua mãe, além de outras tarefas.

É inegável falar que a primeira parte da temporada foi perfeita, isso é fato. E devido ao tempo que os roteiristas tinham para bolar uma trama de seis episódios, essa segunda parte também foi eficiente, também em nos deixar com uma ponta de ansiedade para a próxima temporada.

Categorias:Chuck, Séries, TV Tags:, ,

Modern Family – Family Portrait[01×24-Season Finale]

Que final de temporada sensacional essa série apresentou. Sério. Conseguiu me fazer rir o tempo inteiro e ainda uma cena final emocionante com todos reunidos para o retrato de família.

Adorei o jogo de basquete, onde Gloria beijou Phil por causa da câmera do beijo, foi simplesmente hilário e ele ficando assustado com as mensagens que sua filha lhe passava de seus irmãos, que estavam com a mãe e o sogro, foi sensacional, tudo para dar numa grande confusão.

Claire ficou sozinha em casa com Hayley e sua neurose com perfeição atingiu outro grau por causa da fotografia e sua tentativa em consertar o degrau foi totalmente frustrada.

Enquanto isso, Jay contava como foi sua juventude para o trabalho escolar de Luke, claro que muita mentira foi dita ali, simplesmente porque ele não tinha nada para contar.

Sem dúvida a parte mais hilária foi Mitchell. Ele com medo do pombo que havia entrado em casa foi simplesmente para deixar todos nós com as bochechas doidas de tanto rir. Imperdível.