Arquivo

Archive for março \30\UTC 2010

24 Horas – Day 8: 3 AM – 4 AM[08×12]

Será que finalmente tivemos um episódio bom e que fizesse jus à série? Eu acredito que sim, mesmo a trama da Dana já enchendo o saco e mais uma vez a CTU sofrer, dessa vez ser derrubada por causa de uma bomba de pulso eletromagnético, essa segunda parte conseguiu apagar a monotonia que a primeira estava tomando conta do episódio.

O episódio ainda contou com Jack o tempo todo na rua, o que sempre fez falta e uma série de reviravoltas que valeram o episódio, mesmo a gente sabendo que provavelmente encontraram o fim mais fácil para a trama de Dana, a morte do policial, e também um próximo episódio dedicado à reconstrução da CTU.

Em todos os lugares que eu li, todos concordavam que simplesmente a trama de Dana não havia funcionado e o fato dos roteiristas terem dado inicio a uma nova possibilidade para poder terminá-la rapidamente, assim espero, me faz crer que eles devem ter ouvido algo do público.

Reviravoltas na série sempre são esperadas, mas o fato de Tarin ser revelado como o responsável por tudo para aqui, ele supostamente demonstrar seu amor mandando Kayla “sã e salva”, e ainda morrendo por causa disso, para a CTU, me fez até ter um pouco de pena dele, para mais tarde descobrirmos que foi tudo um plano pra tirar a CTU da cola deles e assim entrarem com as bombas em Manhattan. E ainda teve a revelação de que Hassan tinha um arquivo com todas as fraquezas da Defesa Americana, o que com certeza irá trazer mais dificuldades para o Acordo de Paz, que agora eu acho difícil sair.

Anúncios
Categorias:24 Horas, Séries, TV Tags:, ,

Chuck – Chuck Versus The Tic Tac[03×10]

Bem interessante como os roteiristas estão conseguindo balancear bem todas as tramas dos coadjuvantes e colocá-las em momentos oportunos. Eu sou muito fã da série e acho que eles estão fazendo muito bem o papel deles em criar uma situação em que se um cancelamento acontecer, eles não sejam pegos de supetão, com isso tudo que estamos vendo de uns 2 episódios para cá, começa a se formar como essa realmente fosse a última temporada da série.

Alguns episódios atrás ouvimos o nome de Alex Coburn surgir ligado à Casey e na época imaginei que seria uma espécie de rival do Coronel, só que para minha surpresa assim como Sarah, Casey também tem um outro nome, nesse caso, Alex. E o passado tratou de tentar assombrá-lo, seja na forma de Keller ou no seu amor por Kathleen.

Toda a trama envolvendo a relação de Casey com seu país e o fato dele renegar o amor da sua mulher por conta disso, e depois ser dispensado novamente, se tornando um civil, foi ótima. Mas deu pena de vê-lo, ainda mais ao saber que ele tinha uma filha que nem sabia que existia.

Eu estou começando a ficar nervoso com a situação de Ellie e Devon, será que eles vão ou ficam? Porque quando era certo que eles ficassem em Burbank por causa da proposta que ela recebeu, ela recuou por amor, mas ele também fez o mesmo sobre o Médicos Sem Fronteiras para os dois ficarem juntos e assim ao lado de Chuck.

Categorias:Chuck, Séries, TV Tags:, ,

Damages – I Look Like Frankenstein[03×08]

E o cerco começa a se fechar, presente e futuro que antes pareciam distantes vão se tornando um só, deixando mais uma vez tudo acertado, ainda que algumas coisas fiquem deslocadas na série.

Um desses casos é o do filho da Patty. Óbvio que a gente já sabe que ela é super controladora e quer o filho perto dela, como tentou fazer na temporada passada, mas nunca é demais vê-la simplesmente arrasando a auto-estima de uma pessoa e fazendo-a pensar novamente no futuro quando seu passado, de certa forma errado, é jogado na sua cara, como ela fez com Jill nesse episódio. Se ela terá sucesso nisso, é o que a gente terá que esperar pra ver, mas ver Patty totalmente sem chão ao saber que seria avó pelos ouvidos de outra pessoa sem ser o filho, foi ótimo, porque é assim que a gente vê uma grande atriz.

E a gente tem que ficar ligado no que acontece no presente e no futuro, e a série acaba fazendo com que fiquemos exercitando a memória o tempo todo, tentando encaixar as ponta soltas. Aliás, foi tenso esse flashforward, desde aquele inicio, que para mim foi uma alusão à primeira temporada e o noivo de Ellen, até o final com Leonard dando o dinheiro para Tom. E afinal, pra que seria o dinheiro? Será que Tom finalmente estaria saindo de debaixo da saia da Patty? E porque Ellen estava tão nervosa ao ser questionada sobre um possível romance?

O que tivemos nesse episódio foi reaparição de Arthur Frobisher, e alguém entendeu o porquê? Ainda não, mas espero que não seja uma trama paralela e que logo se encontre com todo o caso Tobin e Patty, que está pegando fogo.

Categorias:Damages, Séries, TV Tags:,

American Idol – Top 12 & Results[09×22 & 09×23]

Agora a briga começa entre homens e mulheres pelo título de Idol do Ano, será que irá pegar fogo ou não? O primeiro tema semanal escolhido contou com os sucessos da legendária banda Rolling Stones, desde a escolha de alguns de seus grandes sucessos até algumas músicas menos conhecidas de seu repertório. Durante o programa de resultados, se apresentaram as cantoras revelações Ke$ha( junto com a dupla 3OH!3) e Orianthi e o vencedor da edição 2008, David Cook.

Michael Lynche(6º) – Miss You

Gabriel: Se formos comparar com a semana passada aí fica difícil. Não foi ruim, foi apenas mediano. Com certeza poderia ter sido melhor.

Nelson: Talvez por ter sido um tema diferente de seu estilo habitual, ele possa ter conseguido apenas uma apresentação segura, sem nada demais. Poderia ter adequado mais a seu estilo.

Didi Benami(5º) – Play With Fire

Gabriel: Mostrou toda sua extensão vocal, mas ainda assim senti que faltou algo em sua apresentação.

Nelson: Bem interessante, ela tem se arriscado cada vez mais. Deu o clima necessário a música e cantou muito bem.

Casey James(12º) – It’s All Over Now

Gabriel: Não apresentou nada de diferente, e como vinha de uma apresentação fraca, assim ficou.

Nelson: Achei fraco, nada de surpreendente. Falta empolgar e se arriscar mais.

Lacey Brown(8º) – Ruby Tuesday

Gabriel: Gosto do timbre dela e gostei de que a apresentação foi numa crescente, mas também não apresentou nada de novo.

Nelson: Peca por escolher músicas que não surpreendem, mas consegue ir bem. Foi muito bem, porém com uma música que não era tão grandiosa.

Andrew Garcia(9º) – Gimme Shelter

Gabriel: Sem o violão, ainda bem, mas começou de uma forma extremamente entediante e ainda não indo bem no refrão, me decepcionei.

Nelson: Mesmo com os problemas vocais, achei bacana. Achei a apresentação adequada à música e um pouco antiquada. Poderia ter sido melhor.

Katie Stevens(3º) – Wild Horses

Gabriel: Cantou muito bem, mas não foi atual como eles tanto pediam. Achei que ela está de volta, mesmo eu tendo lido algumas críticas sobre sua permanência após a última eliminação.

Nelson: Cantou bem. Não sei se teria como “atualizar” essa música, então fez um bom trabalho.

Tim Urban(10º) – Under My Thumb

Gabriel: Vem crescendo na competição e mostrando que realmente merece ficar no top 12, mas desta vez foi apenas ok.

Nelson: Acho que ele está em um patamar abaixo dos outros. Tentou se arriscar, mas foi fraco e falhou a mudar o estilo.

Siobhan Magnus(1º) – Pain It Black

Gabriel: Que voz é essa! Sensacional! Empolgou, melhor apresentação até então.

Nelson: Muito bom também, pois ela se transforma a cada semana, mas continua sendo verdadeira no seu estilo “diferente”. Deu o clima exato para a música e a performance em si. E os gritos, sua marca registrada, se adequam as músicas.

Lee Dewyze(4º) – Beast Of Burden

Gabriel: Eu gosto do timbre e do tipo de música que ele canta, mas não apresentou nada de diferente, sendo apenas de bom para ok.

Nelson: Muito bom, apesar de não ter mudado muito o estilo da música. Vem melhorando vocalmente e tem uma vibe e estilo que vem conquistando o público.

Paige Miles(11º) – Honky Tonky Women

Gabriel: Ainda não entendi o que ela faz no top 12, mas até que não fez feio nessa apresentação, eu até gostei.

Nelson: Gostei bastante, mas acho que escolhe músicas que não proporcionam a ela momentos marcantes.

Aaron Kelly(7º) – Angie

Gabriel: Ele canta bem, mas algumas coisas típicas de cantor adolescente me incomodou, principalmente no timbre da voz.

Nelson: Não gosto de sua presença de palco, nem de alguns vícios, mas com certeza cantou bem e fez uma ótima escolha de música, talvez a única da banda que fosse adequada a seu estilo.

Crystal Bowersox(2º) – You Can’t Always Get What You Want

Gabriel: Assim como Siobhan, vem confirmando seu favoritismo com performances sólidas e essa foi a prova disso, numa boa apresentação.

Nelson: Como sempre consistente e com uma ótima vibe, fez uma boa apresentação. Não tão boa quanto as anteriores, mas com certeza está entre as favoritas.

O programa de resultados foi frustrante por ser tediante e numa enrolação sem fim, mesmo não tendo uma apresentação em grupo. O único show que empolgou foi o de David Cook, cantando uma versão de “Jumpin’ Jack Flash” da banda homenageada. Ke$ha e Orianthi foram totalmente desnecessárias.

Gabriel: A revelação do bottom me deixou contente por saber que Paige e Tim não tem tanta força assim, mas fiquei frustrado por Casey não aparecer lá assim como a eliminação, creio que cedo de Lacey Brown. Outra coisa, é bem ridículo fazer todo um drama como se os jurados fossem usar o poder de salvar alguém na primeira semana, provavelmente só irão usar na última semana que tiverem que fazer ou se houver um desastre pelo caminho.

Nelson: Paige e especialmente Tim mereciam sair antes, porém era esperado que Lacey não ficasse por muito tempo. Mas creio que realmente foram as apresentações mais fracas, apesar de Andrew e Casey poderem facilmente estar entre os três menos votados. Acho bacana a pessoa eliminada poder escolher sua música para a performance final, mas também acho desnecessário a dúvida sobre o poder de veto da eliminação.

Desperate Housewives – Chromolume #7[06×17]

Num episódio que deu o pontapé para as tramas que serão desenvolvidas até o final da temporada, a série teve um bom episódio, mas pecou ao tentar introduzir tramas para todas as donas-de-casa, deixando tudo um pouco arrastado.

Entre as tramas que já vinham se desenvolvendo a de Katherine foi a mais divertida e afetou alguns outros moradores de Wisteria Lane, principalmente o casal Susan e Mike. Mas voltando à personagem de Dana Delany, que vem novamente crescendo na temporada, Katherine ficou na dúvida se seria lésbica realmente, por ter dormido com Robin, e foi conversar com Bob e Lee, chegando à conclusão de que talvez esteja gostando da ex-stripper.

Já Susan em pequenos atos, acabou deixando Mike chateado por ter achado sua masculinidade preterida, primeiro quando ela pagou um empréstimo e depois sobre Katherine. O mais divertido foi ver Mike mostrando que não era tão sensível a ponto de chorar em “Diário de Uma Paixão” e tentando fazer sexo com a esposa na cozinha e tudo saindo errado.

Fiquei surpreso com a revelação de que Rex teve um filho antes de casar com Bree, e isso é ótimo nessa altura da temporada, já que agora será desenvolvida a relação entre Bree, Sam e Andrew como uma “família”, e os dois terão que parar com a grande rivalidade que existe.

Com a ida de Gabrielle e Angie para Nova York em busca de sua sobrinha e seu filho, respectivamente, tivemos a volta do mistério da italiana e ainda a descoberta de que a carreira de Gaby já estava morta mesmo se ela não casasse com Carlos, e foi interessante ver que foi em Gaby que Angie depositou a confiança de contar um pouco mais sobre seu passado, sobre Patrick Logan e o fato de Danny ser filho dele. Agora é o tal de Logan que deverá aparecer.

Curioso nesse episódio, é que os roteiristas mostraram que tem opções para o futuro e o passado das donas-de-casa, como o filho bastardo de Rex, a carreira de Gaby e a possibilidade de Lynette ter uma nora.

Lost – Recoon[06×08]

Fica cada vez mais claro que os roteiristas estão preparando o terreno para os episódios finais, talvez os cinco últimos digamos, porque sinceramente esse não teve nenhum grande atrativo e já está mais do que na hora, ou de começar a ação ou deles apontarem uma direção, porque será que somente no momento dos confrontos é que algumas verdades serão expostas?

O episódio ganhou pontos comigo no flash sideway, o mais interessante até então. Tivemos a volta de Rebecca Mader para isso como um par romântico para Sawyer, que para espanto de todos, não é um vigarista e sim um policial que ainda busca vingança contra o homem que arruinou sua família. E o fato de colocarem Miles como seu parceiro, intensificou a amizade dos dois, que vinha crescendo.

Todas as intrigas no acampamento de Lockedomal, não me agradaram, primeiramente pelo fato de a gente já saber disso, mas eu achar desnecessário ficar tão explicito o quanto ele manipula todos ali facilmente, como fez com Claire, quando ela atacou Kate. Óbvio que ele não quer desavenças para assim concluir seu plano com sucesso. E foi um tempo de tela muito mal gasto, ele mandando Sawyer para a outra ilha.

Quando ele viu todos os corpos dos passageiros do vôo da Ajira, eu poderia jurar que tinha sido o Monstro da Fumaça quem os matou, mas ao que parece foi Widmore, que finalmente desembarcou na ilha e pelo jeito nem quer mais um confronto com Ben(será?), mas sim com Lockedomal. E Sawyer praticou direitinho a mentira para todos, já que ele se preocupa apenas com os seus.

Categorias:Lost, Séries, TV Tags:, ,

Grey’s Anatomy – Push[06×17]

Que temporada ótima que Grey’s vem apresentando, eu realmente estou impressionado, mesmo tendo seus momentos dramáticos, como o alcoolismo de Richard, eles tem investido em potenciais casais e dado um toque cômico, deixando tudo mais leve e agradável de se ver.

Comentei no review passado e digo de novo que foi muito inteligente o fato da Shonda Rhimes usar uma boa trama para Richard Webber, e todos os embates entre ele e Derek estão sendo extremamente tensos e por isso mesmo excelentes de se assistir. Derek negando tudo a ele, com medo de falhas, mas ao mesmo tempo ouvindo o que não gostaria.

Foi bom também utilizarem a possibilidade de vencer o prêmio Harper Avery para mexer com os médicos, e Cristina Yang continua obsessiva e com isso arrancando risadas, já que na disputa entre Hunt e Richard ela não sabia para que lado ia.

E Callie, a Conselheira Amorosa? Simplesmente deu show em seus conselhos para Sloan e Bailey que estão em busca de novos parceiros, ele quer algo mais sério e por isso vai atrás de Teddy, que por conselho de Arizona só quer sexo, enquanto que Bailey aceita o convite do anestesista e parte para uma nova empreitada já que como ela disse que nunca fez sexo com ninguém a não ser seu ex-marido.

A série já começa a entrar em sua reta final e pelo que estou vendo será focada nos relacionamentos amorosos, talvez sem algo bombástico. Já que Lexie não levou a sério que Sloan queria seguir em frente, só percebendo quando Teddy aceitou o convite e quando ela chorou eu podia jurar que ela ia dizer que estava grávida.